quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Alma Mahler


Comprei a biografia de Alma Mahler num sebo, não por causa da compositora, mas devido à minha fascinação com um período tão sofisticado artisticamente e intelectualmente da Viena na época. E Alma Schindler viveu intensamente a ocasião, convivendo com inúmeros artistas e pensadores.

Livro: Alma Mahler
Autor: Françoise Giraud
Editora: Rocco
Ano: 1988
Páginas: 186
Tradutor: Ana Maria Chabloz-Scherer
Resenha: O que acontece a uma mulher quando lhe cortam as asas, lhe poribem a ambição pessoal, a realização de seus talentos? É o que Françoise Giroud nos conta nesse livro impressionante através de ma criatura excepcional, Alma Mahler.
A bela e orgulhosa mulher que conseguiu reunir uma coleção de maridos geniais - Mahler, o compositor, Kokoschka, o pintor expressionista, Walter Gropius, o arquiteto e Franz Werfel, o escritor - foi cruelmente mutilada quando se iniciava na arte de compor. Restou-lhe, apenas, uma arte para cultivar: a arte de ser amada.

No vídeo abaixo, cenas da vida de Alma Mahler musicado por um "Lied" composto pela própria.

2 comentários:

Elmer disse...

Pouco sei sobre Alma Mahler, um pouco sobre o marido compositor Gustav, bastante conhecido mas longe de minhas preferencias. Aproveito e farei uma mini-pesquisa. Um estilo muito pessoal a mim não parece seguir nenhuma escola.

Mahler tinha um estilo pessoal e só na segunda metade do sec.XX passou a ser admirado. Pessoalmente procuro alguma coisa na sua música que ainda não encontrei e tenho a impressão nunca encontrarei.

Bom ter recebido sua mensagem, nos tornamos amigos exatamente um ano atrás quando nos cruzavamos semanalmente na ladeira / calçadão da barra. Tempo bom e bonito,tenho saudades mas o tempo vai e volta. Devo estar em SP em duas ou tres semanas mas ainda incerto pois o meu médico não tem vontade de fazer a cirurgia (nem eu), tenho um tal de neurinoma do acústico que é uma cirurgia boba mas tenho medo de tudo, até de cortar minhas unhas.

Tenho uma gravação da quinta sinfonia de Mahler, que não gosto, mas é adorada por muitos maestros, alguns muito bons. Se eu encontrar em casa deixarei na ACB para voce.

Um beijo.

Elmer Pereira disse...

Não sei como usar ou fazer blogs