terça-feira, 4 de setembro de 2007

Vamos Mudar a Consciência do Brasil

Para refletir...

A diferença entre países pobres e ricos não é a Idade do país. Veja o caso de países como o Egito e a Índia, que tem mais de 2000 anos e são pobres... Por outro lado países como a Austrália, o Canadá e a Nova Zelândia, que há 150 anos quase não existiam, hoje são países civilizados, socialmente desenvolvidos e ricos.
A diferença entre países pobres e ricos não reside nos recursos naturais disponíveis. O Japão é a segunda economia do Mundo, com 80% de território montanhoso e impróprio para a agricultura e a criação de gado. No entanto, o país é uma imensa fábrica flutuante, importando matéria-prima de todo o Mundo e exportando produtos manufacturados. No Japão o índice de malandragem é de zero por cento.


Os Executivos dos países ricos em comparação com os seus pares dos países pobres, mostram que não há diferença intelectual significativa. A raça ou a cor da pele também não são importantes. Imigrantes rotulados de preguiçosos nos seus países de origem, são a força produtiva dos países europeus ricos.

Qual é então a diferença? Está no nível de consciência do povo, do seu espírito. Evolução da consciência deve se constituir no objetivo maior do Estado em todo os seus níveis de poder. Bens e serviços são apenas meios.

A educação (para a vida) e a cultura, ao longo dos anos, de-ve plasmar consciência coletivas estruturadas nos valores elevados da sociedade – integridade, honestidade, espiritualidade e ética
Solução-síntese: transformar a consciência do brasileiro. O processo deve ter início nas comunidades - é onde vive e convive o cidadão.

Comunidades, quando organizadas politicamente (Associações de Moradores, Clubes de Mães, Clubes de idosos etc.) tornam-se micro-estados.
As transformações desejadas pela Nação para o Estado Brasileiro serão efetivadas nesses micro-estados, os átomos do organismo nacional- tal qual a Física Quântica.

Ao analisarmos a conduta das pessoas nos países ricos e desenvolvidos, constatamos que a grande maioria adota o paradigma quântico – prevalência do espírito sobre a matéria. Adotam os seguintes princípios de vida:

1. A ética, como princípio básico.
2. A integridade
3. A responsabilidade.
4. O respeito pelas Leis.
5. O respeito pelo direito dos demais cidadãos.
6. O amor ao trabalho.
7. O esforço pela poupança e pelo investimento.
8. A disciplina e o desejo de superação.
9. A pontualidade.

SOMOS ASSIM POR VER ALGO DE ERRADO E DIZER: “DEIXA-PRA-LÁ”

A preocupação de todos nós deve ser com a sociedade, a causa, e não apenas com a classe política, o triste efeito. Só assim mudaremos o Brasil de hoje.

Vamos agir! Reflitamos sobre o que disse Luter King: " O que mais preocupa não é nem o grito dos violentos, dos corruptos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons."

Nos países pobres apenas uma minoria segue estes princípios básicos na sua vida diária. O Brasil não é pobre porque nos faltam recursos naturais ou porque a natureza foi cruel conosco. Somos pobres porque nos falta vontade para cumprir e ensinar esses princípios de funcionamento das sociedades ricas e desenvolvidas.

Um comentário:

jonas clecio disse...

ótimo blog kra parabéns, não acredito em um "perdição total", mas a coisa é difícil de mudar.

Faço a minha parte!